identificação do paciente
Identificação do paciente: Por que esta etapa é importante
1 de abril de 2019
protocolo de identificação do paciente
Conheça o Protocolo de Identificação do Paciente
15 de abril de 2019

O queijo pode ter furos. Os seus exames não.

Diferentemente de um queijo suíço, os seus exames laboratoriais não podem ter furos. E para garantir esta assertividade o primeiro passo é assegurar a identificação correta do paciente. Esta etapa exige uma série de procedimentos de conferência, desde a identificação na recepção até a emissão do resultado.

O Hemos preza pela segurança dos pacientes de ponta a ponta e entende que a conferência é uma forma de controle de qualidade. Trata-se de um processo importante para a segurança porque permite a prevenção de falhas em tempo hábil.

 

Como o Hemos trabalha a identificação do paciente

 A conferência da identidade do paciente abrange todos os setores do Laboratório, por isso, todos os colaboradores são instruídos a realizar a inspeção dos requisitos que confirmem a identificação correta.

Os principais objetivos da conferência e que devem obrigatoriamente ser analisados em alguma etapa da realização dos exames são: dados do cliente, informações do convênio, informações do médico e dados dos exames.

 As etapas em que estas conferências devem ser realizadas no Hemos são:

1. Atendimento na recepção

Este setor é responsável por realizar corretamente a identificação do cliente e fazer o cadastro dos exames, além de orientar o cliente em relação ao preparo para a coleta. Nesta etapa, a autoconferência é extremamente importante, pois é ela que assegura a inserção correta dos dados do paciente e do atendimento no sistema do Laboratório, levando à execução adequada dos exames e à entrega dos resultados. Se houver alguma informação incorreta, ela deve ser ajustada antes da conclusão do atendimento.

A primeira coisa a ser realizada é a dupla identificação do cliente, com o nome e a data do nascimento, em seguida, a conferência dos dados constantes nos documentos, guias e no sistema. Com o cadastro feito, também é na recepção que devem ser conferidas as ordens de serviço e as etiquetas correspondentes ao cliente. São conferidas ainda nesta etapa a assinatura do paciente e do médico solicitante.

2. Coleta

 Durante a coleta o foco é na dupla identificação do paciente, na identificação positiva dele e na conferência da identificação da amostra. Nesta etapa a identificação é feita entre o cliente, seu documento com foto, a guia médica, a ordem de serviço, as etiquetas e os tubos e frascos primários.

Ao chamar o paciente para a coleta, o colaborador efetua a identificação do cliente através de documento com foto, verificando nome, data de nascimento e sexo. Antes mesmo de efetuar a coleta o próprio cliente deve conferir seus dados nas etiquetas coladas nos tubos e frascos.

3. Triagem

 Nesta etapa o foco da conferência é na adequação das amostras e no encaminhamento correto delas para os setores.

4. Faturamento e conferência

Essa etapa é crucial pois se trata da última oportunidade para corrigir falhas antes que elas atinjam os clientes. Além disso, o faturamento é responsável por encaminhar acertadamente a cobrança dos convênios.

Com estes procedimentos, responsabilizando cada setor pela conferência de informações, o Hemos forma uma rede de barreiras de segurança para minimizar a chance de “furos” durante a realização de exames. Para saber mais sobre a importância da identificação do paciente e outras medidas de segurança em atendimentos de saúde leia também este post.

seus exames