Estilo de vida saudável ajuda a evitar a demência
24 de junho de 2019
segurança alimentar
Por que precisamos falar de segurança alimentar
9 de julho de 2019

Você sabe o que é hipotireoidismo?

hipotireoidismo

Com o formato de parecido com uma borboleta, a tireoide é uma pequena glândula localizada na região do pescoço, logo abaixo do pomo de Adão. Sua função é controlar o metabolismo do corpo ao produzir hormônios que regulam o uso de energia pelas células do corpo: tiroxina (T4) e triiodotironina (T3). Além de impactar diretamente no metabolismo, no cérebro, no coração e em outros órgãos vitais, a tireoide também é responsável por produzir calcitonina, um hormônio que diminui a reabsorção de cálcio dos ossos e aumenta sua excreção na urina. Dentre as possíveis doenças da tireoide encontra-se o hipotireoidismo, um dos distúrbios mais comuns dessa glândula. Mas afinal, você sabe o que ele é?

O hipotireoidismo ocorre quando há uma carência de hormônios da tireoide, que se caracteriza pela queda na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina) no organismo. Esse processo cria uma hipoatividade da tireoide por conta da falta de hormônios necessários, deixando o metabolismo lento e fazendo com que várias funções do corpo sejam reduzidas. Ele pode se manifestar independentemente de gênero ou idade e é por isso que os testes são realizados em recém-nascidos, no chamado teste do pezinho. Porém, esta condição é mais comum nas mulheres e pode se apresentar como hipotireoidismo instalado, com os sintomas evidentes; ou hipotireoidismo subclínico, que tem sintomas mais discretos.

 

Quais são os sintomas do hipotireoidismo?

Quando a glândula da tireoide não produz hormônios suficientes para suprir as necessidades do organismo, os sintomas mais comuns aparecem:

 

– Fadiga;

– Desânimo;

– Constipação;

– Pele ressecada;

– Inchaço no rosto;

– Ganho inexplicável de peso;

– Alterações no ciclo menstrual;

– Sensibilidade exagerada ao frio;

– Esquecimentos ou dificuldade de se concentrar;

– Fraqueza, dor, sensibilidade ou rigidez muscular.

 

Vale lembrar que estes possíveis sintomas não substituem o diagnóstico feito por um médico, que irá solicitar exames que comprovem a condição.

 

Qual exame eu devo fazer para saber os níveis da minha tireoide?

Para detectar a disfunção da tireoide o exame mais utilizado é o TSH, que consiste em uma amostra de sangue retirada de uma veia do braço ou através da punção do calcanhar ou da veia do bebê. Em casos nos quais os níveis estão anormais são pedidos os exames T4 total e livre. Também podem ser solicitados os exames de T3 total e livre. Saiba mais sobre os diferentes exames:

TSH: É um exame solicitado para auxiliar no diagnóstico de distúrbios da tireoide e para detectar se há hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Ele também pode ser utilizado para triagem de hipotireoidismo em recém-nascidos e para acompanhar a reposição de hormônios da tireoide no tratamento do hipotireoidismo.

T4 total e livre: O exame da tiroxina é solicitado após a análise do TSH mostrar resultados anormais.

T3 total e livre: Já o triiodotironina é utilizado para fornecer um diagnóstico preciso do hipertireoidismo.

Não há nenhuma orientação específica quanto ao preparo para os exames (como jejum) para a realização dos exames mencionados. Porém, alguns medicamentos podem interferir nos testes, por isso, é necessário informar ao médico ou laboratório caso você esteja tomando algum medicamento, inclusive pílulas anticoncepcionais

Agora que você já sabe o que é hipotireoidismo, fique atento para os cuidados com a sua saúde. Distúrbios da tireoide que não forem tratados corretamente podem acarretar na redução da performance física e mental em adultos. Outro risco está na elevação dos níveis de colesterol, que aumentam as chances de problemas cardíacos.

Leia também: Estilo de vida saudável ajuda a evitar a demência

o que é hipotireoidismo